POR OUTRO LADO...

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

PT E PMDB CAMINHAM PARA O SEGUNDO TURNO EM SALVADOR

As luzes de alerta estão piscando no comitê de campanha dos candidatos ACM Neto (DEM) e Walter Pinheiro (PT).

ACM Neto, o máximo de valentia virtual num mínimo de tamanho, cai lenta e inexoravelmente em todas as pesquisas, nos últimos 60 dias. Nesse momento, segundo o Datafolha e a P&A, está emboladíssimo com o canastrão João Henrique (PMDB) e o claudicante Walter Pinheiro, do PT. Veja os números divulgados de sexta para cá, respectivamente pelo Instituto Datafolha e pela P&A:

ACM Neto: 25 / 23
João Henrique: 23 / 22
Walter Pinheiro: 21 / 20
Imbassahy: 15 / 12

O ritmo de lenta mas contínua descendência de seus números, combinado com o alto índice de rejeição pode estar anunciando a performance de cavalo paraguaio de Aceemizinho, largando vigorosamente na frente para perder gás no final. Repetindo a performance de Paulo Souto em 2006, contra Jaques Wagner, parece não ter densidade eleitoral na chegada para confirmar o favoritismo de 2, 3 meses atrás.

Melhor para João Henrique, que luta com todas as armas para garantir-se no segundo turno, dialogando com o mesmo público iletrado de ACM'zinho.

Pinheiro conta com o entusiasmo da militância petista e a colaboração do conformado Imbassahy (PSDB) para fazer a diferença na semana final da campanha. Do que poderia ser uma eleição sossegada, finalizada inclusive no primeiro turno, ficou o gosto amargo de não poder contar com o definidor apoio do presidente Lula no horário eleitoral, uma decisão política de alto risco tomada pelo PT.

Os números de Pinheiro a essa altura do campeonato são mais desconfortáveis que poderiam ser fossem outras as decisões de seu partido. Ainda que dentro da margem de erro, ele surgiu em terceiro nos dois institutos de pesquisa, tanto nas estimuladas como nas espontâneas. Como barba é o que não falta no PT, melhor colocá-las de molho e ligar o turbo pra não haver ranger de dentes na próxima segunda-feira.

Minha aposta continua a mesma, Pinheiro chega em primeiro no dia 5, com JH em segundo e ACM'zinho em terceiro. Segundo turno para ver se o PMDB continuará ou não impondo regras ao PT, tô doido pra ver isso...


sexta-feira, 26 de setembro de 2008

PINHEIRO VEM ATROPELANDO

A dica veio do sempre bem informado Marcus Gusmão, na madrugada de hoje, por e-mail. Tem fornada nova de pesquisas sendo divulgadas nesse final de semana e nelas a confirmação do que parecia óbvio para esse profético Blog do Galinho, há mais de um mês: Walter Pinheiro, candidato do PT à prefeitura de Salvador, vai atropelar na reta de chegada. Aparecerá em 2º nas pesquisas, bastante próximo do mini-porradeiro virtual ACM Neto e confortavelmente distante de João Henrique (PMDB) e de Imbassahy (PSDB).

Pinheiro vai herdar os votos úteis que serão negados à Imbassahy e João Henrique quando a população perceber que a vitória do petista é inevitável. Em número suficiente para terminar o primeiro turno à frente do menino-coronelzinho (menino?? Os marqueteiros "Demos" acham mesmo que chamar um candidato a prefeito de "menino" rende votos e simpatia? É isso mesmo, senhores?!!).

Pena que o PT escolheu desgastar-se, sem proveito objetivo, com o PMDB local, promovendo a aparição do governador Jaques Wagner apoiando Pinheiro no horário de rádio e TV, e depois conseguindo a proibição de uso da imagem de Lula no programa de João Henrique.

Ó raios, se era pra ferir os brios (ui!) peemedebistas, melhor teria sido enfiar até o talo e trazer Lula para os programas e pro comício de amanhã, no Farol da Barra, garantindo uma tranquila vitória logo no primeiro turno. Duvida da análise, cabeção? Então tá, esperemos os números do primeiro turno e veja a quantos pontos Pinheiro ficará de uma vitória definitiva em 5 de outubro e se a luz deles poderemos ou não afirmar categoricamente que o resultado seria outro se Lula estivesse na parada.




O Partido dos Trabalhadores colherá resultados consagradores nas urnas de todo o país nessas eleições municipais, os melhores de todos os tempos, principalmente no Nordeste (Salvador, Recife, Natal, Fortaleza). Um nada, quando comparados aos resultados das eleições estaduais e à eleição presidencial de 2010 se o óleo do pré-sal, o PIB bombando com uma Selic menos draconiana e as obras do PAC acontecendo a olhos vistos. Impossível não lembrar dos difíceis dias de 2005 e de como Lula conseguiu conduzir com firmeza o seu governo mesmo sob forte pressão golpista. Craque de bola, merece as colheitas de 2008 e 2010 e o nome na história desse país.




Hoje fui almoçar no Alto da Teresinha, subúrbio ferroviário de Salvador. Comi uma mariscada de moqueca no "Só Moqueca"que não deve nada aos melhores restaurantes de comida típica baiana de Salvador. Temperado com leveza e equilíbrio, o prato é servido fartamente e por ótimo preço, a porção "pequena" sacia o apetite de três homens famintos por R$30,00.

Quer conhecer, cabeção? Então faça assim, siga sempre pela Avenida Suburbana. Após o Bom Preço de Plataforma, comece a ficar atento às placas à direita. A primeira sinaliza a entrada para Itacaranha. Siga em frente, a próxima placa aparecerá com um "A.Teresinha". Vire e suba o morro por uns 100 metros, o restaurante aparecerá no meio da ladeira, à sua esquerda.

Vale a pena a visita, a comida consegue ser melhor que a servida pelo famoso "Boca de Galinha", da Ilha São João, de Plataforma.


sexta-feira, 19 de setembro de 2008

NO PRIMEIRO TURNO, EU FALEI...

A pesquisa Datafolha divulgada hoje revela muito mais que números similares aos divulgados pelo jornal Tribuna da Bahia na última segunda, 15/9. Senão, vejamos.

1) A candidatura de Imbassahy foi pras picas. Tomara que o PSDB negocie com o PT, entre outras coisas, a secretaria que cuida dos parques e dos jardins, uma inegável especialidade dos tucanos baianos. O voto útil vai comer os 11% apurados pela Tribuna e os 14% do Datafolha. Mortinho, mortinho, já é...

2) Ted Tampinha (ACM Neto) não cresce mais. Os 27% apurados pelo Datafolha anunciam a perda de fôlego na reta final. Seu índice de rejeição o inviabiliza em qualquer projeção, seja no primeiro ou no segundo turno, se houver.

3) A situação de João Henrique é a mesma. Aparentemente chegou ao máximo que podia com 22%. Daqui pra frente vai murchar feio, se Lula disser que prefere beijar a boca de Pinheiro e não a dele.

4) Pinheiro (20% segundo o Datafolha) atropela todos, inclusive ACM Neto, na reta de chegada do primeiro turno. Se Lula desembarcar no seu programa de rádio e TV e vier a Salvador para um único comício, Walter Pinheiro será eleito prefeito de Salvador em primeiro turno, como o dito aqui em um post publicado dia 25 de agosto. Com o perdão da indisfarçada gabolice, acho que o vaticínio do mês passado estava corretamente fundamentado e eu não estava maluco (pelo menos não por esse motivo...).

5) O voto útil que já matou Imbassahy vai matar João Henrique se Lula aparecer por essas bandas antes do dia 5/10. A maioria esmagadora desses votos migrará para Pinheiro, dando-lhe a vitória final ainda no 1º turno.

6) Insisto, contudo: a estratégia de só convocar Lula para a campanha de Pinheiro se não houver mesmo jeito é arriscadíssima. Não se subestima a capacidade de reação de políticos como JH. A clara tendência de hoje, a de Pinheiro atropelar quem estiver pela frente nos últimos 15 dias da campanha, pode sim ser revertida por um fato novo ou um lance espetacular do neopeemedebista. O PT errará se não usar toda a munição conquistada em eleições anteriores, independentemente da ida ou não de seu candidato para o segundo turno.

7) Quanto custa uma pesquisa de encomenda no Ibope? Mais ou menos de R$3 milhões? Cliente antigo tem desconto?

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

PT FLERTA COM A EMOÇÃO; O VITÓRIA TAMBÉM

Vi há pouco a pesquisa divulgada hoje pelo jornal Tribuna da Bahia, sobre as intenções de voto para a prefeitura de Salvador. Os números parecem coerentes com o que se ouve nas ruas da capital da Bahia.

ACM Neto encolheu para 26,5% (esse negócio de dizer que vai dar porrada faz perder é voto...); João Henrique Carneiro estacionado com 20,4% (noiva de Lula, tá...); Imbassahy murchou para 11,4% (fimdelinhahy pro Antônio); Hiiiiiilton50 com 2,6% (vai ter que procurar outro emprego pra corrigir a língua presa).

Walter Pinheiro surge com 19,9% e tem a menor rejeição dessa galera aí. Espaço de sobra para crescer e atropelar na reta de chegada.

Mas o assunto resolvido não está resolvido, não. Já escrevi isso aqui e disse ao vivo para um grande amigo do PT e do governo baiano, semana passada: subestimar João Henrique é um erro grave. O PT precisa pôr suas cartas na mesa ainda nesse primeiro turno, para não perder o bonde da vitória. E a carta mais valiosa chama-se Lula.

A militância está entusiasmada e tudo leva a crer que é possível assistirmos a uma maré vermelha nessas eleições municipais, em todo o estado da Bahia.

Com Lula pondo a cara na tela vai ser barbada. Sem Lula, é provável a chegada de Pinheiro em segundo lugar, colado em Ted Tampinha, o porradeiro virtual ACM Neto.

Mas atenção: Paulo Souto era, a 15 dias das eleições de 2006, o virtual governador da Bahia, em primeiro turno. Moral da história: virtual é a puta-que-pariu, melhor levar a sério essa história de terror chamada João Henrique Carneiro e liquidar a fatura imediatamente.

Os esperneios do PMDB, todo mundo sabe disso, resolve-se com mais alguns cargos e dinheiro. É disso que Geddel gosta, é isso que Geddel quer.


***


O glorioso rubro-negro baiano tá na onda do PT, também. Para garantir a emoção da galera, esmerou-se em perder centenas de gols ontem no Barradão, no magrinho 1X0 contra o Coritiba.


***


Emocionantes petistas e rubro-negros da minha Bahia querida: vão à merda!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

A HORA DE WAGNER MOSTRAR A QUE VEIO


Até as lindas árvores do Dique do Tororó sabem. É chegada (quase passada) a hora de Lula desembarcar na campanha eleitoral de Salvador.


Fosse o correto Walter Pinheiro um candidato carismático, bom de gogó e campeão em auto-suficiência, as pesquisas estariam demonstrando outro quadro, em que ele estaria seguramente na frente de ACM Neto.

Mas não é. Pinheiro vacila e suas aparições no vídeo não conseguem compensar essa claudicante embocadura para o poder executivo. Custo a acreditar que o marqueteiro dessa campanha não tenha se dado conta disso.

Enquanto isso, João Henrique Carneiro, atual prefeito de Salvador e candidato à reeleição pelo PMDB, consegue abrir espaços à cotoveladas, fazendo boa parte do iletrado eleitorado soteropolitano acreditar de que é ele e não Pinheiro, a noiva de Lula em Salvador. Está funcionando.

Parte dessa estratégia foi desmontada por Jaques Wagner, em seu burocrático depoimento no programa de Pinheiro. Muito pouco para a necessidade do candidato petista inscrever seu nome para o segundo turno do pleito baiano.

Wagner ainda passa longe de ser admirado pelo povo baiano. Manda melhor que Pinheiro no quesito vibração mas não o suficiente para fazer de si um político amado como o presidente Lula.

Quis usar exatamente essa palavra, amado. Lula é um político de grande envergadura, o maior que já teve esse país, e a população confia nele. Nenhum outro líder político brasileiro consegue sequer passar perto de sua performance política e capacidade de comunicação. Muito menos Jaques Wagner, melhor talhado para os movimentos palacianos que para os palanques e câmeras.

Resta ao PT baiano -e espera-se de Wagner o comando desse movimento- convencer o presidente que é preciso peitar o PMDB de Geddel e livrar-se da chantagem de não poder pôr peso na campanha de Pinheiro por conta do apoio na Assembléia Legislativa local e no Congresso Nacional.

A campanha de Pinheiro corre riscos objetivos de morrer na praia se Lula não desembarcar "de com força" no horário eleitoral, deixando claro para o povão de Salvador quem é quem. Imediatamente.

João Henrique é um desastre administrativo e político para Salvador. É inadmissível que tenhamos que suportar mais quatro anos com a cidade sendo transformada numa favela só, das praias ao centro. Será possível que a capital da Bahia irá novamente ter que escolher pelas mãos de quem seguirá inerte, incapaz de reinventar-se e dar um salto rumo ao século XXI?

JH e ACM Neto são ovos da mesma serpente, apesar da diferença de estilos. A peçonha comum a ambos é o do clientelismo, do Estado a serviço de interesses privados. Líderes de um tempo que Salvador insiste em flertar, meu Deus...

Governador Wagner: no palco ou nos bastidores, a hora é sua. Salvador pede socorro e não merece viver mais quatro anos assistindo ACM Neto ou João Henrique no Palácio Tomé de Souza, enquanto os líderes locais do PT discutem, ainda de boca aberta, porquê perderam uma eleição que poderiam ter ganho om relativa facilidade.

Ou é Lula cá agora ou fim de linha para Pinheiro em 5 de outubro. Precisa mesmo ser assim, Governador Wagner?

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

CABAÇO DE US$1 MILHÃO, PREGAS POR US$250 MIL

Acabo de ver no portal G1. Uma americana de 22 anos (essa aí do lado) está provocando a maior celeuma na moralista sociedade norteamericana ao anunciar que vai leiloar sua virgindade para custear seus estudos na faculdade. A donzela da Califórnia apresenta-se com o pseudônimo de Natalie Dylan e pretende arrecadar US$1.000.000,00 .

Uia! Por um quarto desse valor entrego muito mais que o já não tão tenro cabacinho que a moça jura que ainda tem.

Pense bem, tenho 45 anos de idade, essa invencibilidade toda tem muito maior valor agregado, né não?

Propostas podem ser dirigidas à redação. As que vierem acompanhadas de piadinhas prontas como "já que o conceito está consagrado vamos negociar o valor em bases mais razoáveis?" serão sumariamente descartadas.
Aceito fazer o teste da farinha.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

MULHER BERINJELA, UM FENÔMENO ETERNO NA VIDA DE RONALDO


Senhoras, senhores: olhem bem para essa imagem. Vocês estão diante da mais nova celebridade instantânea brasileira, em cartaz desde o último domingo.

Ela chegou arrasando, decretando de cara o fim do reinado das frutas entre as gostosonas midiáticas.

Depois da inesquecível -ponha inesquecível nisso- Mulher Melancia, da Mulher Jaca, da Mulher Morango e outros tantos sabores, é chegada a hora das hortaliças , das verduras e dos legumes. Chega de tanta doçura, viva a alimentação rica e variada!

Meninos, meninas, conheçam ela, a protuberante...Mulher Berinjela! (aplausos).

Tá bom, explico. Andreia Albertini é aquele travesti que junto com mais duas "amigas" foram parar numa delegacia de polícia do Rio com seu cliente Ronaldo Fenômeno, que segundo elas recusava-se a pagar pelos serviços que elas juram ter prestado e que ele nega até hoje. Um bafafá do cacete na época, não lembra?

Pois bem, a moça agora foi contratada pelo funkeiro carioca MC Palito, que celebrou o encontro do ex-craque com sua surpreendente namorada numa já antológica peça do cancioneiro brasileiro chamada "Funk do Ronaldinho". Olha só que beleza de texto:

Eu não pego ela
Se tu pega, tu é maluco
A bundinha até que vai
Mas na frente tem um trabuco
Eu não pego ela
E quem pegou é maluco
A bundinha é de mulher
Mas na frente tem um trabuco
Sabe quem pegou?
Só Ronaldinho
dim dig dim dig dim
Só Ronaldinho
dim dig dim dig dim
Mas eu sou MC Palito
Essa nova eu fiz pra ela
A mulher do Ronaldinho
É a Mulher Berinjela
Paralisa essa parada
Essa eu fiz foi com carinho
Ela é a preferida
Do meu parceiro Ronaldinho
Sabe quem pegou?
Só Ronaldinho
dim dig dim dig dim
Só Ronaldinho
dim dig dim dig dim

É de fazer chorar de tão delicada, né não?

Não tá satisfeito, cabeção? Quer mais, é? Então tá, veja com seus próprios olhos o vídeo em que eles "interpretam" esse funk. E confira a ginga, o feitiço, a malemolência que encantaram nosso (meu, não!) artilheiro da Copa de 2002. Basta clicar AQUI.

Divirtam-se, fui.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

VAI QUE O CAVALO FALA...

Consta que aconteceu na Inglaterra, séculos atrás. Condenado pelo crime de comer as batatas do rei, o camponês esperava a hora de ser executado, maquinando sem parar um jeito de escapar da forca. Até que a luz se fez.

Certa noite, chamou o carcereiro e disse: "Sua Majestade é apaixonado por um dos seus cavalos, todos sabem disso. Peço que faça chegar ao conhecimento do Rei que sei como fazer aquele animal falar!".

Chegou e ele foi levado à presença Real. "Quer dizer que o senhor é capaz de fazer meu cavalo falar?!" -Perguntou o Rei, com indisfarçável ironia e mal disfarçada esperança.

-Sim, Majestade. Não preciso de mais que 3 anos para que seu lindo animal possa dialogar com Vossa Realeza.

-Perfeitamente, camponês. Lhe concederei o direito de provar isso. Sua pena está suspensa para que você faça o que diz poder fazer. Se em 3 anos meu cavalo falar, serás um homem livre; se não, cuidarei pessoalmente para que tenhas a mais horrível morte que um homem pode imaginar.

O camponês foi conduzido de volta à cela para pegar suas coisas e seguir para a estrebaria Real. Antes de sair, um dos presos o interpelou.

-Você está louco?! Pra onde você acha que vai com essa história estúpida?

-Não sei. Por enquanto ganhei mais 3 anos de vida, fora desse lugar horroroso aqui. E vai que no final desse tempo a porra do cavalo fala, né?

Lembro dessa história sempre que as eleições se aproximam e com elas o desencanto espreita minha visão sobre a política e seus homens. Assim tem sido nos últimos anos.

Tá, a eleição de Lula amenizou esse desalento todo. O metalúrgico iletrado, a maior personagem da cena política brasileira em todos os tempos, redefiniu o eixo do poder no Brasil, introduzindo o viés da atenção ao serviço público como ferramenta de inclusão e desenvolvimento sustentável. Saimos, com Lula, da selvageria pré-histórica do poder, que simplesmente dava as costas para as humilhantes condições de vida da nação brasileira.

O que não significa que as mazelas da gestão pública brasileira foram superadas. Não foram e durante muitas décadas ainda darão as cartas por essa latitudes.

A alternância do poder entre os diversos grupos políticos continua seguindo a lógica do emprego público não-concursado como forma de "fidelizar" correligionários; a outra pilastra dessa maldita engenharia política segue fincada na corrupção em grandes planos, em que grandes grupos econômicos investem quantias fabulosas em campanhas para cargos majoritários e realizam esses mesmos investimentos na forma de licitações arranjadas para grandes obras.

Nesse sentido, tanto faz ser o PT, PSDB, PMDB ou qualquer outra agremiação partidária que esteja no comando. De tigre faminto, mulher apaixonada e um caminhão de dinheiro não há quem escape.

Assim foi com Lula e com Wagner. E assim será com Pinheiro, se ele aprender a falar firme e sorrir com naturalidade, habilitando-se a disputar o segundo turno das eleições de Salvador com o risível e ricamente produzido Ted Tampinha, mais conhecido como ACM Neto.

Alguém está pagando a conta desses moços e terá sua recompensa na forma de generosos contratos. É assim que funciona, até o dia em que os parlamentos brasileiros reflitam uma sociedade mais evoluída e passem a exigir novas estruturas de controle do Estado diante de seus atores políticos, poder judiciário incluído.

Não tenho idade para alimentar ilusões e de achar que a eleição de Pinheiro sera o divisor de águas para a redenção soteropolitana. Como não acho que Wagner e mesmo o próprio Lula nos redimam do estágio civilizatório atrasadíssimo desse grande país. Só o inexorável passar dos anos, das décadas, nos farão viver planos mais elevados de relação entre o poder político institucional e seus habitantes. Vai demorar mesmo.

Até lá, comemoraremos o imediato, a lenta construção do futuro. Exaltaremos os feitos do novo prefeito da Cidade da Bahia com a mesma alegria cívica que nos tomaram quando da posse de Lula e de Wagner. Esperanças renovadas e muita, muita paciência para que vejamos os sinais de que esses homens sejam capazes de praticar um comando que estruture um serviço público universal e de melhor qualidade. E que possam contribuir para que as avenidas da corrupção transformem-se em ruas e depois becos. Haja tempo para tudo isso!

Ao final de tudo é apenas isso que importa cada vez que as eleições se aproximam: saber se o novo gestor-mor e seu parlamento são ou não capazes de dar continuidade a essas transformações.

Por isso que defendo o voto em Walter Pinheiro em Salvador e em Marta Suplicy para São Paulo. Se de resto não guardo ilusões quanto à vertiginosidade de suas ações rumo ao paraíso, move-me a convicção de que eles sabem perfeitamente que são depositários de um movimento histórico irreversível, o do salto de qualidade e de inclusão no serviço público brasileiro.

A centro-direita brasileira, seus partidos (DEM, PSDB, PMDB etc) e suas assessorias de comunicação (Veja, Folha, Estadão, Globo etc) ainda não entenderam que apenas o perfilamento a essas necessidades a fará sobreviver na cena política. Suspiram sorrateiramente pelas capitanias hereditárias enquanto discursam modernidade.

É claro que mesmo os candidatos de esquerda prometem muito mais do que efetivamente farão. A lógica da política, submetida às leis que o Congresso Nacional recusa-se a varrer com uma reforma política séria, que vetorize a definitiva modernização do Brasil, permite que assim o façam. Eles não são o Messias renascido, a anunciar o novo tempo. São frutos do hoje, de um tempo em que divisar o futuro exige olhos de águia, tão longe parece estar a realidade de escolas estimulantes, saúde pública de primeira, segurança inteligente etc etc etc.

Torço, bato palmas e teimo em sonhar com um país capaz de gerir competentemente seus recursos naturais e humanos -acima e abaixo daquela puta camada de sal atlântico, portanto. Espero, sinceramente, que esses homens e mulheres da esquerda brasileira curtam à beça as benesses do efêmero poder que têm mas que ao menos mantenham o leme na direção que as urnas exigem eloquentemente: gestões eficazes, serviço decente, práticas politicas e administrativas menos predatórias. É o mínimo que se pode exigir dessas pessoas.

Se assim for, já está de muito bom tamanho, nossos netos e bisnetos viverão dias melhores.

O que não implica em afastarmo-nos da comedida confiança de que eles consigam fazer agora mais que isso, tornando, por exemplo, nossas grandes cidades lugares suportáveis de se conviver. Que nos custa, se afinal de contas sonhar é um dos mais saborosos direitos humanos?

Vai que numa dessa o cavalo fala, né não?

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

FORMULADORES E MAIS...


Uma semana inteira sem escrever, absorvido por divagações existenciais, necessidades materiais e um certo desalento diante da falência da simplicidade.

Explico, sim.

É que há períodos em que escrever é insuportavelmente denso para quem gostaria de apenas contemplar. São dias em que, se a arquitetura fizesse parte da minha vida, acabaria produzindo soluções como a daí de cima, dos mesmos projetistas que criaram os vasos sanitários cujas tampas não param em pé, sacaneando o prosaico ato masculino de mijar relaxadamente usando uma mão para segurar a piroca e a outra pra repousar no quadril. Sem ter que encostar a perna na do cara ao lado, que usa uma camiseta fúcsia e é fã do Diego Hipólito.

Os formuladores são um perigo. Deveriam ter sua produção intelectual submetidas por algum órgão regulador ou pelo Ministério Público. Movidos, muitas vezes, por estranhíssimos desígnios, impõem verdadeiras torturas ao cotidiano dos mortais.

Como a das calçadas em pedras portuguesas, que certamente seriam chamadas de Pedras Britânicas ou Pedras Germânicas se fossem funcionais e atendessem à sua missão primordial, permitir que as pessoas transitem sobre um piso regular, bonito, permeável. Ah, que permita também uma manutenção de baixo custo e adequada à realidade de cidades como Salvador.



Amo meus amigos jornalistas de Salvador e de São Paulo. A revista Piauí é um luxo, sua edição de agosto (nº23) está impecável. A pauta e os textos da revista Muito, encartada aos domingos pelo jornalão A Tarde são de primeiríssima.

Mas o conteúdo noticioso da grande imprensa é um horror diário, editado na forma da má-fé, da irrelevância e da pilantragem travestida de jornalismo.

A manchete do Jornal Nacional de ontem simboliza, mais uma vez, o desespero dos grandes meios de comunicação em gerar enfoques trepidantes para alavancar fatos políticos e audiência, custe o que custar. Os fatos? Ora, se os fatos não se adequam às versões ditadas pelas conveniências políticas e comercias, fodam-se os fatos!

O general Jorge Félix, perguntado na CPI se seria possível que um funcionário da ABIN fosse o responsável por um suposto grampo telefônico, respondeu que "Possível é. Tudo é possível"

Na voz de William Bonner, ouviu-se a seguinte chamada: "General Jorge Félix admite possibilidade de agente da ABIN ter feito o grampo".

Dá náuseas um troço desse.




Procura-se um publicitário experiente, com especialização em psicoterapia aplicada a candidatos a prefeito. Desejável a competência de tornar seguros e sorridentes pessoas de temperamento claudicante. Procurar o comitê do candidato Walter Pinheiro, em Salvador. Paga-se bem.




Se Lula e Wagner, nessa ordem, entrarem imediatamente na campanha de Pinheiro para a prefeitura de Salvador, são grandes as chances do petista em 5 de outubro. Sem isso o bicho vai pegar, tô avisando.

Pinheiro é um ótimo parlamentar e pode perfeitamente ser o prefeito que a Cidade da Bahia precisa ter. Mas tem clara dificuldade de falar firme, nos olhos da população. Pra não falar da ausência de naturalidade do seu sorriso.

Na Bahia, mesmo que a equação Brasília-Bahia-Salvador seja poderosa a ponto de levar o petista à vitória (e é), não prescinde da chancela "cabra-macho" reconhecida como fundamental pela população.

Por aqui, seja homem ou mulher, o sujeito tem que ter culhões. Ou Pinheiro começa a falar grosso, olhando firme pra câmera, e aprende a sorrir com naturalidade, ou o barco vai pro beleléu.




O santuário rubro-negro da Bahia está em vias de ser conspurcado. O pretexto é a ação de relacionamento com seus clientes e parceiros que a Petrobrás quer viabilizar em torno de ingressos no Barradão, para jogos do Vitória... e do Bahia!.

Pelos poderosos culhões de Thor, de onde vem a vinculação entre os dois times em torno de um mesmo estádio, o do Vitória?

Molinho, molinho ver o incansável dedo tricolor do chefe-de-gabinete do governador Jaques Wagner, Fernando Schimidt, nessa história. Absolutamente nada impede que a Petrobrás assine imediatamente com o Vitória esse contrato de patrocínio. E aguarde até que Pituaçu fique pronto em 18 de outubro e possa fazer a mesma coisa com o Baêa-Sua-Porra.

É óbvio que tem gente forçando a barra para salvar imediatamente o Bahia da derrota financeira que significa mandar seus jogos em Feira de Santana.

A diretoria do Vitória vai cometer um erro esplêndido se aceitar essa chantagem. Sua torcida não vai aceitar hospedar a comunidade de Itinga em suas nobres instalações. E vai cobrar caro do governador Wagner por essa teimosa intromissão nos assuntos do futebol, como se não bastasse reformar e ampliar um estádio a toque de caixa, com dispensa de licitação, para atender às necessidades de uma empresa privada falida como o Esporte Clube Baêa-Sua-Porra.

Burros, já disse.




"Eu quero Hiiiiiiiilton50, na capital da resistência..."

Mato, se encontrar, o sujeito que produziu esse jingle-reggae, em cartaz o dia inteiro nas rádios e TV's baianas.