POR OUTRO LADO...

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

QUENIANOS, TREMEI!



Vida nova com as palmilhas produzidas pelo Hospital Sarah, de Salvador. Ô diliça! Pisadas confiantes, sem medo da dor, livre do cansaço produzido pelos dribles que o corpo dá quando algum de seus membros não está legal, manja isso?

Treinando duro nesse segundo semestre de 2008 para participar de todas as competições de 5km, 10 km e meia-maratona de 2009. Entre elas, a São Silvestre. Anotaí, cabeção: 2009 será o ano do crepúsculo queniano nas ruas de São Paulo. Autógrafos antecipados podem ser solicitados por e-mail.




A imprensa baiana precisa aprender a lidar com as coisas do esporte fazendo de conta que sabe pensar grande. É duro, eu sei, mas precisa tentar.

O Vitória está vivendo uma combinação de jogos difíceis com instabilidade causada pelos cartões amarelos e contusões. Além disso, precisa de um centroavante pra disputar posição com o Dinei e mandar Rodrigão para a puta-que-o-pariu. Ou para o Bahia, o que dá no mesmo.

Leandro Domingues está chegando pra ser titular, resta saber no lugar de quem, sem que isso não imponha a necessidade de redesenhar o esquema tático do time, o que não parece ser a especialidade do glorioso Wagner Mancini, haja vista a renitente escalação do cabeça-de-bagre Marco Aurélio como titular da lateral direita.

A despeito disso tudo, o momento é de baixa, sim, pelo qual passaram e vão passar até a 38ª rodada todos os times que disputam a primeira divisão do Brasileirão. Vamos devagar com a dor, povo baiano! Muita água ainda vai rolar debaixo dessa ponte e ao final teremos o que comemorar.




Assisti ontem o L'Oratorio d'Aurelia no TCA. Graças a Marcus Gusmão, paguei um reaus por isso, numa apresentação "popular" feita às 11h.

Amei a dica e a lembrança do amigo. Mas isso não salvou a impressão de ter visto mais um espetáculo europeu meia-boca, desses que chegam à essas latitudes precedidos dos ótimos textos produzidos por suas assessorias de imprensa.

A impressão que tive foi de que a mistura de ilusionismo cênico, teatro circense e acrobacia resultou num produto muito bem embalado mas mixuruca pra cacete.

Seguimos comprando missangas culturais e tecnológicas européias. Vamos combinar, são ótimos vendedores.




O Blog do Galinho está na bica para divulgar um concurso espetacular, mais uma intrigante iniciativa de nossa própria lavra que irá abalar a blogosfera brasileira.

Trata-se do "Cavalo Paraguaio do Ano". Por enquanto inscreveram-se dois concorrentes. Aceitamos sugestões.

1) Clube de Regatas Flamengo

2) Antonio Carlos Magalhães Neto

4 comentários:

Paula Nunes disse...

Também fui ao TCA no domingo e somente após ler seu post, finalmente poderei dormir em paz!
Me senti uma alienígena quando não me juntei à platéia que aplaudia de pé por longos minutos o L'Oratorio d'Aurelia na sessão das 19h.
Meia-boca, muito meia-boca!
A embalagem certamente era muito melhor que o conteúdo.

Anônimo disse...

De acordo com vcs!
Também estive lá e vi um espetáculo tecnicamente correto mas de baixíssima inspiração.
Que diabos viu o moço do Picolino para definir aquilo como "imperdível"? Eu, hein?!
Sergio Vieira

Franciel disse...

Paulo,
o Flamengo é o Urubu paraguio.
Já grampinho, vai acontecer um fenômeno interessante. Se for ao segundo turno (o que acho que pode acontecer) sairá menor do que entrou. Ou seja. para ele, é melhor perder logo no primeiro.
E digo isto com a costumeira autoridade em profecias.

Quanto ao Rubro-Negro, não se apoquente, não.
A caminhada rumo ao título se faz com alguns percalços.

Marcus Gusmão disse...

Pelos olhos dos outros, não vi e gostei.
Devo, entretanto, um erramos ao anônimo acima. Anselmo disse que havia visto uma performance da moça e não o espetáculo e pelo que viu, era imperdível.
Enfim, só posso garantir que imperdível mesmo, este eu já ví, é Tom Zé dia 30 na Conha. E baratinho, por um kilo de alimento.