POR OUTRO LADO...

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

OS NOMES DA BAHIA

Coisa de dois, três anos atrás. Passava de carro pelo Rio Vermelho, sentido Amaralina, e uma placa na fachada de uma casa me chamou a atenção. Era uma loja de produtos ortopédicos e o nome escolhido por seu empreendedor foi "A Muleta Express".

Corta para domingo passado, próximo ao bar do Abdala, fim de linha do Garcia, nessa mesma cidade do Salvador.

Embalado pelo chacoalhar da lauta feijoada, olho pra cima e vejo a placa na fachada do pequeno sobrado : "Mãe Preta Business". Tava com pressa, voltarei para saber desse empreendimento. Deve ser algo ligado ao comércio internacional de berimbaus, algo assim, espero.

Fiquei encafifado. Baiano tem problemas com nomes de pessoas, físicas e jurídicas? Se não é isso como explicar também essa tradição de batizar os filhos criando incríveis neologismos próprios, como Carlígia (Carlos e Ligia), Glosório (Gloria e Osorio), Carline (Carlos e Aline), Elinaide (Elisio e Naildes)?

Depois ficam produzindo pesquisas acadêmicas para explicar a violência de filhos contra seus pais.

Isso é um assunto da maior importância mas meu tempo ficou curto. Volto a ele amanhã.

Mas, antes, não posso deixar de compartilhar com vocês o que acabo de ver nos búzios. O Vitória volta ao G4 daqui a algumas horas, com um triunfo formidável sobre o Palmeiras, debaixo de uma puta chuva no Parque Antártica. Avisei.

Ah, a imagem aí debaixo faz parte do programa de ACM Neto para a revitalização urbanística de Salvador. Vai começar pelo Dique do Tororó, como vocês podem ver.



ATUALIZAÇÃO, NO DAY AFTER DE PALMEIRAS 3X0 VITÓRIA:

1) Vende-se, pelo menor lance único enviado por e-mail, uma peneira com todos os apetrechos para jogo de búzios.

2) Três coisas incríveis na cerimônia de abertura da Olimpíada de Pequim, vista há pouco. A exuberância de cores; as projeções de imagens em enormes planos; a boquinha vermelha daquelas moças. Tesão.

Tirando isso, vi um espetáculo incapaz de emocionar, apesar do rigor técnico. Fiquei desapontado.

2 comentários:

Nilson disse...

Paulo, você e Franciel têm não deveriam desistir desse ofício de prever o futuro. O problema é o vitorinha. Nenhum talento guenta com um timinho sem futuro!!!

Marcus Gusmão disse...

Mas com os cinco no Vasco todo o furor premonitório retornará, vice!