POR OUTRO LADO...

domingo, 27 de abril de 2008

SENTA QUE É PIMENTA, BAÊA!!!


Tá legal, eu aceito o argumento que é totalmente clilchezão falar que o futebol é uma caixinha de surpresas. Ou mesmo usar a versão um pouco mais bem elaborada desse bordão, aquele que fala que é "por causa de resultados como esse que o futebol é o esporte maravilhoso que é".

Mas como escapar disso se o Baêa-Sua-Porra, potência de outrora do futebol baiano, dá um passo tão firme como o que deu há pouco em Feira de Santana, levando 3X0 do Vitória e perdendo por expulsão dois de seus principais jogadores (Marcone e Fausto), além do treinador, para a penúltima rodada do quadrangular decisivo do Campeonato Baiano, quinta-feira (1) próxima?

O Vitória assume a liderança da competição numa hora decisiva e passa a ter, pela primeira vez na competição, as maiores chances de sagrar-se campeão baiano de futebol. Pela 14ª vez nas 20 últimas edições, nunca é demais o registro.

Faz lembrar as incríveis viradas do próprio Bahia em cima do Vitória, nos anos 70 e 80. Quem tem mais de 40 anos lembra disso perfeitamente, o Bahia era o time da chegada eo Vitória o que sempre morria na praia.

Agora, ou melhor, há quase 20 anos a história é completamente outra. O Vitória passou a ser o time que não aceita perder título praquele timinho de merda, quer dizer, desculpe, para seu arqui-rival, nem que pra isso tenha que ir pra porrada, como fez brilhantemente hoje no Jóia da Princesa.

A despeito dos desastres promovidos pela diretoria rubro-negra nesse ano, quando contratou o que havia de pior disponível no mercado -a exceção de Rodrigão e Ramon, ambos em grande fase- ouviu-se hoje em Feira um rugido de campeão. Rugido que levou aquele timinho escroto, quer dizer, desculpe, o Esporte Clube Bahia, a se desesperar com a possibilidade de perder um título que todos davam como ganho e passar mais um ano sem títulos. Amarelou de verdade, o zagueirão Alisson que o diga.

Menino, que delícia ver a galera rubro-negra na arquibancada entoando "senta, senta, senta que é de menta!", como diz a musiquinha dos Cavaleiros do Forró, que eu tomei a liberdade da adaptar para o título desse post, pru mode amplificar a ardência causada pela perda iminente do título. A mesma galera que vaiou o time o Vitória na derrota da semana passada por 4X1 praquele timinho de bosta, quer dizer, desculpe, para o tricolor de Itinga e que foi à Toca do Leão em massa durante a semana para pressionar dirigentes e jogadores, exigindo garra e título.

Lindo, rapaziada, lindo. Tem muita água ainda pra passar debaixo dessa ponte até o próximo domingo, não ganhamos nada ainda. Mas que eu comecei a ver o leito do rio pintado de vermelho e preto, ah, isso eu tô vendo, sim senhor!

Do mesmo jeito que vi hoje a torcida incolor com a mesma cara de turista dinamarquês que acabou de enfiar os dentes num acarajé com pimenta saindo pelos lados.

Que menta que nada, meu camarada, aquilo foi pimenta mesmo, curtida desde que o campeonato começou. Uia!

3 comentários:

Marcus Gusmão disse...

"Rá, rá, ri, ri eu ganhei foi três bavi" disse a torcedora, em concordância duvidosa mas alegria sem fim. E o último de 4a1 lá no parque socioambiental, onde outro torcedor do Baê disse se sentir absolutamente em casa. Viva o Vitória... da Conquista.

paulo galo disse...

Caberia tb, na alegria tricolor, o seguinte grito de guerra: "rá-rá, ru-ri, eu ganhei foi três bavi, dei risada e me fudi!".

alvaro disse...

tá dudo dado , galeto empanado
na final é q se vai ver
quem tem farinha no saco
essa presepada, com juiz e tudo
é só pra dar cor ao baianão
no final, vai dar Timão...