POR OUTRO LADO...

domingo, 3 de junho de 2007

COSTELA, CERVEJA E BLUES


Frio deu uma treguinha em Sampa, sai da caverna pra comer uma costela no Chiquinho, buteco a dois quarteirões de casa, esquina da Teodoro Sampaio com Capote Valente.

Já seria motivo suficiente pra dar uma suave agitada na minha preguiçosa tarde de domingo, que já veio assim desde a hora em que acordei, sem a menor disposição pra pedalar ou correr. Pra falar a verdade, assim desde que esse frio de lascar chegou por aqui, já se vão uns 15 dias.

Mas não é que o programa almoço-jornaleiro-padaria-café acabou ganhando um colorido mais saboroso ainda?

Numa das mesas da calçada do Chiquinho uma rapaziada jovem tocava blues, com dois violões, baixo acústico e sax. Pinta de meninos que fazem da música um divertido ofício. E o almoço de 30 minutos virou duas horas..

Tem muitas coisas que acontecem em São Paulo que me fazem gostar muito desse lugar, apesar da saudade que sinto da Bahia. Uma delas é sua inata vocação cultural, que vai além dos teatros e casas de espetáculo para emergir de repente nas ruas, praças e parques.

Galera talentosa, sorridente, mandando um blues de primeira e banhando essa tarde de domingo de puro bem-estar. São Paulo vive também de sua arte, que bom. Rock me baby!

É pra essa meninada feliz que me fez feliz também que mando daqui um tributo a dois caras que andaram fazendo coisas lindas juntos a um tempo atrás e continuam fazendo outras tantas cada um no seu caminho, Eric Clapton e B.B.King.

Volto amanhã, deixo beijos pra quem chegar.

Inté, fui...

2 comentários:

Marcus Gusmão disse...

Tá vendo que até pra banzo brabo há jeito nesta vida?

paulo galo disse...

O banzo, Gusmão, tem mais ardis que TODAS as mulheres juntas do mundo. Ele não faz questão de um palco permanente e exclusivo. Só faz questão de voltar. E volta, o filho-da-puta...