POR OUTRO LADO...

sexta-feira, 11 de maio de 2007

VLAMINCK, DO FAUVISMO ÀS SOMBRAS

Maurice de Vlaminck nasceu na França e viveu entre 1876 e 1958. Foi uma das primeiras influências estéticas estruturantes que tive, menino ainda em Salvador. Tempos em que tudo o que era contundente, vibrante e capaz de alterar o rumo das civilizações me excitava os sentidos apaixonadamente.

Confesso que não mudei essencialmente. O novo continua sendo o móvel da minha marcha e continuo despejando energia nas coisas que me emocionam. Mas certamente a idade ensinou-me a alongar um pouco mais a respiração e deter o olhar mais demoradamente sobre o mundo que me cerca e a mim mesmo. Os detalhes vieram pra frente do palco e passarm a dar sentido aos grandes movimentos. Algo assim como fazer amor, no começo era o vigor e deus disse que era bom, couro nela! depois veio a cadência mais suave, a fruição dos prazeres subjacentes. E deus nem precisou dizer que era bom.

Maurice de Vlaminck participou ativamente do fauvismo, uma tendência estética que, sob a liderança de Henri Matisse, causou alvoroço na europa no começo do século XX ao praticar um conceito de exacerbação das cores ainda mais agressivo que Van Gogh e Gauguin .

Quis trazer aqui duas telas de Vlaminck para em primeiro lugar homenageá-lo. Em segundo lugar, para ilustrar com suas obras como o tempo suaviza o discurso, atenua ímpetos e faz da da acuidade no olhar um caminho seguro para que os jovens talentes transformem-se em mestres.

A primeira, um óleo sobre tela, foi pintada por volta de 1905 e chama-se O Restaurante em Marly-le-Roy ; a segunda, um guache de 1926 chamado Rue de Village. Essa segunda tela faz parte de um período em que ele produziu quadros maravilhosos tendo, vejam só, a noite como ambiente.

Com vocês, mestre Maurice de Vlaminck. Para ampliar, basta clicar nas telas.


6 comentários:

Tiago disse...

Paulo, muito prazer, também gosto muito das obras de Vlaminck. Gostaria de saber de algum baiano que se envolveu com esse estilo (Fauvismo). Pode ser de outros estilos também, cubismo, art nouveau, etc.. só queria um baiano que produziu quadros, esculturas ou peças como cartazes em um desses estilos.. estou fazendo um trabalho da faculdade e estou com dificuldades. Desde já agradeço.

paulo galo disse...

e aí Tiago, blz? maior honra em te receber por aqui, viu? olha, apesar de vez quando eu escrever uma ou outra coisa sobre artes plásticas não sou autoridade no assunto, sou mero expectador. Sugiro que vc inicie suas buscas por três nomes famosos da arte plástica baiana: Hector Carybé, Mario Cravo, Emanoel Araújo e Sante Scaldaferri. São nomes consagrados consagrados e a partir deles vc pode puxar o fio que virão outros, falou? abraços, boa sorte

Tiago disse...

Muito obrigado Paulo, vou começar agora mesmo! Vou precisar de boa sorte mesmo, hehe, valeu!

Encontrei o José Guimarães, mas na internet tem dois nomes para mesma pessoa: "José Tertuliano Guimarães" e "José Maria Fernandes Marques"... as bibliografias são iguais (em quase tudo), mas não posso confiar..

jenifer disse...

Oii paulo td bem? então estou fazendo um trabalho grande para a escola e eu queria pedir uma pequena ajuda sua, se o senhor sabe me dizer especificadamente o que é o fauvismo? preciso explicar direitinho o que é, e eu não sei exatamente como dizer, será que o senhor pode me ajudar?

Muito obrigado por enquanto...
Abraços
Mayara

Anônimo disse...

meu da pra coloca o nome das obras q bosta

Anônimo disse...

Olá!estou fazendo uma pesquisa, procurando imagens do artista para um trabalho da faculdade e me deparei com estes dois trabalhos de Vlaminck.
Discondo de você Paulo, no momento em que vc diz que o tempo atenua a "rebeldia". Não que vc tenha usado essas palavras. Mas acho que a grande diferença desse artista foi o momento que ele decidiu fazer essa arte mais cheia de energia, diferente das outras. Não que a obra posterior não seja bela, mas acredito que o fato de ele ser o qué é, é porque ele foi digamos, rebelde. Sei lá, é o que eu penso! mas achei bacana ver o outro lado de Vlaminck. ;-)
Obrigada!
Louise