POR OUTRO LADO...

quinta-feira, 10 de maio de 2007

FERNANDO VIVAS

O Licuri é um blog curioso. Além da qualidade apresentada, fruto do talento aflito de Marcus Gusmão, ele tem um viés bacana: fomentar novos espaços blogosféricos, incentivando amigos a organizarem seus próprios veículos. Marcus é diretamente responsável pelo surgimento de vários deles, inclusive (e com muita honra) desse terreiro aqui, que vivia há mais de um ano preso aos meus devaneios e só emergiu graças ao empurrão dele.

Mas a generosidade desse baiano porreta -que a propósito, é muito mais velho que eu- vai além. Foi no seu Licuri que conheci e me encantei com a abordagem e a técnica dsse fotógrafo excepcional, Fernando Vivas, que ilustra esse post com duas de suas mais recentes criações. Não percam a chance de conhecer a obra desse moço em seu próprio endereço:
www.olhodarua.blogger.com.br

E vejam o que o cara consegue fazer com uma câmera na mão diante da velha cidade da Bahia...



2 comentários:

Marcus Gusmão disse...

Muito mais velho?????? Tá contando a diferença em segundos?
Falandoi sério, obrigado pelas palavras. Na verdade estou fazendo uma poupança, construindo meu futuro. Espero ficar velhinho, lá no boqueirão em Minas Gerais, em contato com todos os meus amigos na rede, falando do passado e do futuro. Quanto a Vivas, tive o prazer de trabalhar com este sujeito algumas vezes como frila da antiga vejinha. O cara sempre foi fera. Foi estudante de arquitetura e talvez dai venha o seu olhar , a sua composição. Pensei também em botar estas duas fotos no licuri. Esta segunda então, é um gol de placa. Consegue ser bem humorado no miserê de nossa triste Bahia. Vá em frente. O negócio aqui tá muito bom. vá em frente.

paulo galo disse...

A idéia de trazer um aperitivo da obra do Vivas praqui -se é que dá pra chamar fotos como essas, compostas com tanta criatividade e sensibilidade, de aperitivos- me despertou a vontade de dar sequência na fotografia ao que já tinha iniciado no humor: dar evidência aos grandes e novos talentos das mais diversas áreas. Aos poucos vou incorporando aqui o resultado da pesquisa que já estou fazendo em pintura, poesia, vídeo, música etc. Entre outros benefícios, essa iniciativa freia bem o ímpeto de fazer do Terreiro um lugar de cultivo reminiscências pessoais, que não é bem o que gostaria de fazer predominantemente. Quanto a nossa diferença de idade, sossegue companheiro: quando vc tiver 88 anos e eu 86 ninguém vai notar a diferença. Beijos!